Master System

Sega Master System

História

Lançada inicialmente no Japão em 1986, ela enfrentou grandes dificuldades devido a forte concorrência da Nintendo. A Nintendo possuia contratos de exclusividade junto das produtoras de jogos. O contrato não permitia que produzissem jogos para nenhuma outra consola, fazendo com que o Master System dependesse unicamente dos lançamentos desenvolvidos pela SEGA. O baixo sucesso no Japão não evitou que a SEGA lançasse o Master System no resto do mundo. Nos Estados Unidos o domínio da Nintendo também era muito grande, e logo a SEGA vendeu os direitos de comercialização do Master System nos EUA para a Tonka, mesmo assim a popularidade do aparelho foi diminuindo.
Na Europa a história foi diferente. A Master System foi bem aceite e tornou-se muito mais popular que a consola da Nintendo. Diversos programadores europeus produziram jogos para o Master System, e o aparelho teve suporte da SEGA Européia até 1996 (em contraste a SEGA Americana, que desistiu da consola já em 1992). Para se ter uma ideia, os jogos de arcada da Sega convertidos para a Master System faziam tanto sucesso na Europa, que a empresa Tengen lançou versões (não licenciadas) de vários desses jogos para o consola da Nintendo. O sucesso da Master System repetiu-se também na Austrália, um mercado que toma como base o mercado europeu. No Brasil repetiu-se a situação da Europa. A Master System foi produzida e vendida pela Tec Toy a partir de setembro de 1989 e atingiu um grande sucesso. A Master System lançada pela Tec Toy era o mesmo modelo vendido nos Estados Unidos. Já a Master System II produzido pela TecToy possuía o mesmo desenho da primeira mas era mais barata e vinha com outros jogos. A Tec Toy ainda lançou a Master System III Compact, que possuía um novo desenho (o mesmo desenho do modelo lançado como Master System II nos EUA e Europa), e diversos modelos portáteis chamados Master System Super Compact, inclusive uma versão rosa desenvolvido para as meninas. Além disso, a Tec Toy desenvolveu alguns jogos exclusivos para o mercado brasileiro e converteu diversos jogos lançados para a portátil Game Gear para a Master System, aumentando ainda mais a biblioteca de jogos disponíveis.


Dados Técnicos

  • CPU: Zilog Z80 8-bit 3 579 545 Hz (3.58 MHz) em PAL/SECAM e NTSC
  • Gráficos: Chip alterado da SEGA baseado do modelos Texas Instruments TMS9918/9928 com várias adições
  • 384 Kbits ROM, jogos usam o método de mudar páginas (cada página é 128Kbit) para ter acesso a toda a área do cartucho
  • Som: Texas Instruments SN76489 4 canais mono (chip FM YM2413 disponível apenas no aparelho Japonês)
  • 64 Kbits (8KB) RAM
  • 128 Kbits (16KB) Video RAM
  • 32 cores simultâneas de 64 disponíveis (pode também exibir 64 cores simultâneas com certos métodos de programação)
  • Resolução de tela de 256x192 (Alguns modelos podem suportar outras resoluções além desta)
  • 3 geradores de som quadrado + 1 gerador de som de Ruído branco
  • 1 slot para cartuchos
  • 1 slot para cartões (descartado em modelos posteriores)
  • 1 slot de expansão (não usado fora do Japão)

Houve vários modelos desta consola, como se pode ver na imagem, existiu o modelo I, II, e III,

 Ainda me lembro da primeira vez que vi a consola, depois de a ter recebido no natal, há tantos anos atrás, vinha com um comando e com um jogo incorporado, o qual foi passado muitas horas a jogar, o famoso Alex Kidd in Miracle World (para quem quiser reviver, clique aqui).

Aqui fica uma pequena lista com alguns dos jogos desta consola:
  • Alex Kidd in Miracle World
  • Alex Kidd in High Tech World
  • Alex Kidd in Shinobi World 
  • Alex Kidd: the Lost Stars
  • Global Defense
  • Dead Angle
  • Ninja Gaiden (...)

Curiosidade :

Alex Kidd teve um impacto tão grande no final dos anos 80, início dos anos 90, que acabou por ficar como a mascote da SEGA.


Sem comentários:

Enviar um comentário